O que a Bíblia diz sobre falar mentira?

língua

O Livro de Provérbios diz:

“Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.” (Provérbios 6:16-19)

Nesta lista de sete coisas que o Senhor odeia, três são pecados da língua:

“Língua mentirosa”

Deus odeia a mentira. O mentiroso será castigado por Deus (Salmo 7:12-16). Muitas pessoas confiam na mentira, se achando capazes de enganar o mundo e até o próprio Deus. Na sua arrogância, elas não confiam no Senhor (Salmo 40:4). O servo de Deus, porém, deve abandonar a mentira e buscar a lei do Senhor (Salmo 119:163). Da mesma maneira que Deus odeia a mentira, a pessoa justa também a odeia (Provérbios 13:5).

“Testemunha falsa que espalha mentiras”

Duas vezes nessa lista de sete itens, Deus inclui a mentira. Não podemos diminuir a gravidade desse pecado. Jesus é a verdade (João 14:6). A mentira vem do diabo e aqueles que mentem são filhos do diabo (João 8:44). Mentiras não são brincadeiras (Provérbios 26:18-19). Devemos falar a verdade sempre (Efésios 4:25).

“Aquele que provoca discórdia entre irmãos”

Mais uma vez, encontramos nessa lista um pecado que envolve, principalmente, o uso errado da língua. Contendas são obras de maldizentes. “Sem lenha a fogueira se apaga; sem o caluniador morre a contenda” (Provérbios 26:20). Há, infelizmente, pessoas neste mundo que se ocupam falando mal dos outros e semeando contendas. Deus detesta tal comportamento. Em Romanos 1:29, ele inclui contendas entre os piores dos pecados.

A soberba é uma das fontes das contendas que dividem irmãos. Provérbios 13:10 diz: “O orgulho só gera discussões, mas a sabedoria está com os que tomam conselho”. Provérbios 17:19 afirma o mesmo: “Quem ama a discussão ama o pecado; quem constrói portas altas está procurando a sua ruína”.

Contendas são fáceis de começar e difíceis de terminar. Como um pequeno buraco num dique facilmente sai do controle da pessoa que o fez, uma pequena contenda cresce de tal maneira que ninguém consegue freá-la. “Começar uma discussão é como abrir brecha num dique; por isso resolva a questão antes que surja a contenda” (Provérbios 17:14). Por isso, a melhor maneira de resolver uma briga é não começá-la.

O apóstolo Paulo escreveu:

“Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo.” (Efésios 4:25)

Mentir é um pecado gravíssimo. Não é verdade que “mentir por uma boa causa não é pecado”. Não existe mentira do bem. A mentira quebranta a unidade, cria conflitos desnecessários e destrói a confiança. Por isso, Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, nos orientou não só a abandonar a mentira, mas também a falar a verdade. A Bíblia diz que “O Senhor odeia os lábios mentirosos, mas se deleita com os que falam a verdade” (Provérbios 12:22). Por isso, não basta apenas parar de mentir, é preciso passar a dizer a verdade.

O mentiroso arruína a si mesmo e não ficará sem castigo (Salmo 7:12-16). Quando uma pessoa mente constantemente, ela ganha fama de mentirosa e ninguém mais acredita no que ela diz.

A nossa língua pode nos levar ao pecado. Por isso, Tiago nos orienta a dominar a língua (Tiago 3:1-12).

Davi perguntou: “Senhor, quem habitará no teu santuário? Quem poderá morar no teu santo monte?” e incluiu na resposta esta característica do homem justo e íntegro: “Aquele que de coração fala a verdade e não usa a língua para difamar… e não lança calúnia contra o seu próximo” (Salmos 15:1-3).

Que o Senhor nos ajude a dizer sempre a verdade e a odiar a mentira tanto quanto Ele odeia! Pois, “quem quiser amar a vida e ver dias felizes, guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade” (1 Pedro 3:10).