O cristão e a hospitalidade

luz

Sobre a hospitalidade, o Novo Testamento diz:

“Compartilhem o que vocês têm com os santos em suas necessidades. Pratiquem a hospitalidade.” (Romanos 12:13)

“Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber alguns acolheram anjos.” (Hebreus 13:2)

Nesses textos, a palavra grega para “hospitalidade” é φιλοξενια (philoxenia), que significa “amor aos estrangeiros, hospitalidade” (Strong, G05381).

Amar os estranhos e os estrangeiros faz parte de amar a Deus. Jesus disse: “Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo. Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim…’” (Mateus 25:34-36). Quando somos hospitaleiros com o nosso próximo, estamos amando e servindo ao próprio Jesus: “O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram” (Mateus 25:40).

Três personalidades da Bíblia “sem o saber acolherem anjos”: Abraão (Gênesis 18:1-8), Gedeão (Juízes 6:11-19) e Manoá (Juízes 13:2-16). Alguns dizem que não podem ser hospitaleiros porque seus lares não são grandes ou confortáveis. Mas até se você tiver só uma mesa e duas cadeiras em uma habitação alugada, há pessoas que vão se sentir agradecidas ao passar um tempo em sua casa. Hospitalidade simplesmente significa fazer que outras pessoas se sintam à vontade em sua casa.

O apóstolo Pedro escreveu:

“Sejam mutuamente hospitaleiros, sem reclamação.” (1 Pedro 4:9)

Nesse texto, a palavra grega para “hospitaleiros” é φιλοξενος (philoxenos), que significa “hospitaleiro, generoso para as visitas” (Strong, G05382). Note que Pedro disse que é para sermos generosos para com as nossas visitas “sem reclamação”. Isso significa que devemos colocar o que temos à disposição de nossos hóspedes com alegria, e não com reclamação e descontentamento.

E quando somos nós os necessitados da hospitalidade dos outros, devemos aceitá-la, pois estaremos dando aos nossos hospedeiros a oportunidade de praticar uma boa ação. Quando Jesus enviou setenta e dois discípulos, dois a dois, a pregar em todas as cidades e lugares para onde Ele estava prestes a ir, Ele disse:

“Se houver ali um homem de paz, a paz de vocês repousará sobre ele; se não, ela voltará para vocês. Fiquem naquela casa, e comam e bebam o que lhes derem, pois o trabalhador merece o seu salário. Não fiquem mudando de casa em casa.” (Lucas 10:6-7)

Sejamos hospitaleiros e aceitemos também a hospitalidade dos outros.