Poesia: “O Rei dos Reis” (de Jônathas Braga)

Jesus

Depois de andar por todos os caminhos,
Aos homens ensinando a boa senda,
Jesus teve por trono a cruz tremenda,
E por diadema uns ásperos espinhos.

Todos lhe foram fúteis e mesquinhos,
Porém ele se deu em oferenda,
Para que o pecador assim aprenda
A segui-lo através desses caminhos.

Porque na sua voz havia o encanto
Das melodias de um saltério santo,
Vibrando junto ao nosso coração…

E, Rei dos reis, morreu como um cordeiro,
A fim de assegurar ao mundo inteiro
Um reino de perpétua duração.