O que a Bíblia diz sobre adivinhação?

adivinhação

Deus proibiu que Seu povo consultasse médiuns, espíritas, etc.:

“Não vos virareis para os adivinhadores e encantadores; não os busqueis, contaminando-vos com eles. Eu sou o Senhor vosso Deus.” (Levítico 19:31)

Deus via a atitude de consultar essas pessoas como um pecado grave, chegando ao ponto de tratar esses atos como contaminação e prostituição (Deus chamava de prostituição porque via isso como uma quebra da aliança que fez com o povo).

Mas o que é adivinhação?

“Adivinhação é a tentativa de decifrar a vontade dos deuses com o uso de técnicas de magia. Os pagãos criam que podiam usar a habilidade e o engenho humano para adquirir conhecimento dos deuses sobre certas situações.” (Packer, Tenney e White, The Bible Almanac, p. 114-115)

O adivinhador seria aquele que pensa poder jogar a revelação divina fora. Lemos nas Escrituras a respeito de falsos profetas que chegavam ao ponto de dizer que suas revelações mentirosas vinham de Deus (Ezequiel 22:28).

Deus deu a terra de Canaã aos israelitas porque os povos que viviam naquela terra se evolveram em muitos pecados, dentre os quais o espiritismo, adivinhação, feitiçaria e invocação dos mortos. Deus ordenou que o Seu povo não imitasse essas práticas: “Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou dedique-se à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria ou faça encantamentos; que seja médium ou espírita ou que consulte os mortos. O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, o seu Deus, vai expulsar aquelas nações da presença de vocês. Permaneçam inculpáveis perante o Senhor, o seu Deus. As nações que vocês vão expulsar dão ouvidos aos que praticam magia e adivinhação. Mas, a vocês, o Senhor, o seu Deus, não permitiu tais práticas” (Deuteronômio 18:10-14).

O povo de Deus deveria única e exclusivamente se guiar pela vontade de Deus, expressa em Sua Palavra e através de Seus servos:

“Quando disserem a vocês: ‘Consultem médiuns e espíritas que murmuram encantamentos, pois todos procuram seus deuses e os mortos em favor dos vivos.’ Respondam: ‘À lei e aos mandamentos!’ Se eles não falarem conforme esta palavra, vocês jamais verão a luz!” (Isaías 8:19-20)

Deus proibiu isso porque essas coisas não procedem dEle. Se não procedem dEle, procedem do Maligno, Satanás. No Novo Testamento, vemos Paulo exorcizar uma jovem escrava que estava possuída por um espírito de adivinhação e era usada por seus senhores como fonte de lucro. A Bíblia deixa claro que a jovem estava possessa e precisou ser liberta, ou seja, não existe menção de nada positivo a respeito dessas práticas nem no Antigo nem no Novo Testamento.

“Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito dinheiro para os seus senhores com adivinhações. Essa moça seguia a Paulo e a nós, gritando: ‘Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação’. Ela continuou fazendo isso por muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao espírito: ‘Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela!’ No mesmo instante o espírito a deixou.” (Atos 16:16-18)

As práticas de adivinhação, bruxaria, consulta aos mortos, e coisas do gênero, sempre são mencionadas na Bíblia vinculadas à ação de espíritos malignos. Por isso, Deus proibiu que Seus servos entrassem em contato com elas.

Saul, o primeiro rei de Israel, cometeu muitos desses pecados e teve um triste fim:

“Saul morreu porque foi infiel ao Senhor; não guardou a palavra do Senhor e chegou a consultar uma médium em busca de orientação, em vez de consultar o Senhor. Por isso, o Senhor o entregou à morte e deu o reino a Davi, filho de Jessé.” (Crônicas 10:13-14; confira 1 Samuel 28)

Davi, por sua vez, quando quis saber o futuro, não consultou médiuns, necromantes, etc. Ele consultou a Deus:

“E Saul convocou todo o seu exército para a batalha, para irem a Queila e cercarem Davi e os homens que o seguiam. Quando Davi soube que Saul tramava atacá-lo, disse a Abiatar: ‘Traga o colete sacerdotal’. Então orou: ‘Ó Senhor, Deus de Israel, este teu servo ouviu claramente que Saul planeja vir a Queila e destruir a cidade por causa dele. Será que os cidadãos de Queila me entregarão a ele? Saul virá de fato, conforme teu servo ouviu? Ó Senhor, Deus de Israel, responde’. E o Senhor disse: ‘Ele virá’. E Davi, novamente, perguntou: ‘Será que os cidadãos de Queila entregarão a mim e a meus soldados a Saul?’ E o Senhor respondeu: ‘Entregarão’.  Então Davi e seus soldados, que eram cerca de seiscentos, partiram de Queila, e ficaram andando sem direção definida. Quando informaram a Saul que Davi tinha fugido de Queila, ele interrompeu a marcha.” (1 Samuel 23:8-13)

Conclusão

Não é pecado querer saber o futuro. Pecado é buscar por esse conhecimento em fontes enganadoras e demoníacas. É isso o que a Bíblia condena. Davi orou por respostas, e foi respondido. Nos dias de hoje, Deus fala conosco através de Sua Palavra, a Bíblia, que é a base sólida de ensino que deve nortear nossas decisões. Tudo o que Ele queria que soubéssemos sobre o futuro já foi revelado por meio de Seus profetas.

Os verdadeiros profetas de Deus, obviamente, não estavam em pecado por predizerem o futuro, afinal quem lhes revelava o futuro era o próprio Deus. O que Deus condena é a fonte ilegítima de conhecer o futuro.


E o que dizer de brincar de adivinhar?

Vamos ver alguns exemplos.

  • Quando alguém conta uma história para uma pessoa e depois diz “adivinhe o que aconteceu depois”, a pessoa que vai “adivinhar” não estará cometendo o pecado da adivinhação porque não vai adivinhar o futuro, mas meramente dar um palpite de o que poderia ter acontecido na sequência. Ou seja, ela não está realmente querendo descobrir o futuro.
  • Brincadeiras de vendar os olhos de alguém e pedir que localize alguma coisa, ou cheire ou prove algo e diga o que é também não é pecado, porque a pessoa vendada não estará tentando descobrir o futuro, mas apenas encontrar alguma coisa sem enxergar ou decifrar algo por meio do cheiro ou sabor.

Com os exemplos acima, vimos que buscar o entendimento correto de algo e tentar prever o futuro (adivinhar) são coisas diferentes.

Em Romanos 14, Paulo falou sobre a ingestão de carnes. Ele disse que quem come carne pensando que é pecado, peca contra a sua própria consciência. E quem come carne mesmo sabendo que não é pecado, mas faz isso na frente de alguém que pensa que é pecado, está pecando contra a consciência dessa pessoa. Neste texto, vemos um princípio que pode ser considerado em várias questões sobre as quais a Escritura não é muito clara: Se você faz alguma coisa pensando que é pecado, então essa coisa se torna pecado para você; e se você acha que não é pecado mas faz na frente de alguém que pensa que é, então você está pecando contra essa pessoa. 

Então, se você não está tentando adivinhar o futuro nas brincadeira, não está pecando, mas se pensa que está, a fim de não pecar contra a sua consciência, o melhor é parar com isso.